De acordo com a sua origem, podemos classificar a biomassa em diferentes tipologias:

Florestal:
Produto originado na exploração e limpeza realizada nas florestas. A Biomassa florestal por excelência é baseada na estilha de pinheiro sem casca. Ou proveniente de culturas energéticas (choupo / eucalipto). Existe legislação europeia que a define e regula. Na Europa Central é o produto mais procurado no domínio da biomassa térmica. Como fator destacável, a economia.

Agrícola:
 A biomassa de origem agrícola é constituído por uma gama de produtos que compartilham a característica de serem resíduos valorizados de culticos agrícolas, como cascas de amêndoa ou de caroço de azeitona. Como produtos sazonais (dependem da colheita anual do produto agrícola em questão), recomendamos que o seu uso pode ser suplantado por outros tipos de biomassa.

Industrial:
O pellet é o produto clássico que tem simbolizado nos últimos anos a biomassa. É utilizado o serrim de madeira , comprimidos e encapsuladas, como uma fonte de energia sujeita a elevados níveis de padronização. A península tem implementado a norma ENplus, como um certificado de qualidade. Como fator destacável, a sua homogeneidade e alto poder calorífico.